Correndo com os Bruxos

CURITIBA (sleepless) O anúncio da 3a. Etapa de Corrida de Aventura da Extremaventura anunciava cerca de 60km, ao contrário dos tradicionais 90-100km, para a categoria expedição. Desta vez, porém, não fui pego de surpresa pela baixa quilometragem  como aconteceu na Corrida de Aventura de São José dos Pinhas. Aprendi que baixa quilometragem quer dizer muita variação altimetrica. E foi realmente o que aconteceu na etapa de ontem realizada em Itaperuçu, município cerca de 30km de Curitiba.

O dia amanheceu bem nublado sem chuva e com temperatura na casa dos 15 graus. A largada foi as 9:30h e lá estávamos Rodrigo e eu alinhados pra mais uma prova. Os dois primeiros trechos foram de trekking (entre os PCs 1 e 3). Como em toda corrida o grupo sai unido e a dispersão começa logo nas primeiras trilhas.

Nosso único erro crucial de navegação foi entre os PCs 1 e 2. Perdemos muito tempo pra encontrar o PC2 e no fim das contas acabamos indo até o  PC3 pra ter um ponto de referência no mapa para então encontrar o PC2. Deu certo, mas perdemos um tempo considerável!

E foi no meio do mato perdidos que encontramos os Bruxos de Passo Fundo. Assim como eu chamo todo mundo de bicho, a gauchada chama todo mundo de Bruxo. Então ficou, os Bruxos. Trata-se da equipe Life Adventure de Passo Fundo formada pelo João Fabiano, Tete, Lise e seu irmão João Paulo.  Como estávamos perdidos, nos agrupamos e fizemos o resto da corrida praticamente juntos.

Como eu disse, a altimetria foi bem pesada (com uns 2000m de subidas acumuladas) e não era raro visualizar outros competidores no alto dos morros e também as estradas do outro lado dos diversos vales. Alguns eram possíveis de serem contornados, mas o sobe e desce era inevitável. Em vários desses pontos era impossível pedalar e o empurra bike era inevitável.

Depois do PC3, a coisa fluiu bem em termos de navegação. Mas como perdemos muito tempo sofremos um corte no PC6 e fomos obrigados a ir diretamente para os PCs 9 e 10, os quais ficavam na represa do rio Capivara. Represa significa baixa altitude, ou seja, descer e subir até a represa duas vezes. Até a primeira descida o Rogério e seu parceiro estavam nos acompanhando mas depois perdemos contato. Onde você foi parar homem?

Durante o trajeto cruzamos alguns rios da região que foram a minha salvação em termos de hidratação. Como o percurso era bastante exigente, a água que eu levei no meu camelback e caramanholas não foi suficiente. Tive que recorrer aos rios e bicas da região. Quando eu olhava dentro da caramanhola pensava duas vezes em beber aquela água, mas a sede era maior. Num desses rios a gaúcha Lise resolveu se atirar da bike pra se refrescar.

A água era gelada mas também um bom relaxante muscular para as pernas que já começavam a sentir algumas câimbras. Logo depois de um desses rios encontramos um exame de abelhas bem no meio da estrada. Fazer o que? O povo se agrupou e viu que não tinha muita opção a não ser correr! Os bruxos queriam mandar a pobre da Lise antes pra ver se as abelhas picavam. Malvadeza a parte, passamos todos são e salvos pelas abelhas.

Já passava das 16h quando começamos o caminho de volta e o ponto de corte para a caverna, que era o último PC era as 18h. Em função da dificuldade do trajeto nenhuma equipe conseguiu chegar na caverna a tempo e todas foram cortadas nesse ponto. Faltando alguns poucos quilômetros para a chegada encontramos um boteco na beira da estrada e resolvemos fazer uma parada rápida pra repor um pouco de glicose.

E aí tomamos mais um desses refrigerantes que você não acha em uma cidade grande de jeito nenhum. Dessa vez foi o Genius! Tenho a impressão que esse foi o melhor Guaraná que eu já tomei!

Chegamos por volta das 20:20h, depois de cerca de 60 km e quase 11h de prova. Em função dos vários cortes sofridos pela maioria das equipes ainda não sabemos nossa classificação. Em resumo, prova pesada mas divertida. Com o aprendizado das provas passadas várias coisas funcionaram melhor, entre elas a alimentação. Subway, azeitonas, pepinos, géis de carbohidrato e algumas doses de taurina nos levaram até o fim da prova.

Então é isso bruxarada, nos encontramos nas próximas! Mais fotos disponíveis aqui. Veja o vídeo produzido pelo Rodrigo

9 thoughts on “Correndo com os Bruxos

  1. Pingback: O Sobe e Desce da Corrida de Aventura de Itaperuçu 2010 — Transpirando.com

  2. Corrida de aventura é um conjunto,nao apenas vigor fisico,alimentaçao e hidrataçao é a base de tudo,hoje com a cabeça mais tranquila vejo o tanto que erramos sabado. Serve de experiencia para as proximas,parabens a voces,bela corrida. abraçççossssssssssssssss

  3. Pingback: Pensamentos a Respeito da Corrida de Aventura de Itaperuçu 2010 — Transpirando.com

  4. …graaande Bruxo…hehehe…mto legal tua matéria….cara…valeu a parceria, é isso que faz as corridas ficarem cada dia mais interessantes, os amigos que encontramos…grande abraço e até a próxima…

  5. Pois é Luiz, para mim foi dureza aquele sobe e desce, carrega bike, fora os vários tombos, mas graças a força e a comida de vocês….hehehe….consegui terminar a prova sem maiores problemas!!! Valeu tchê!!!

Leave a Reply