Strava Festive 500 (2016)

CURITIBA (pra fechar) Diferentemente do ano passado, que choveu e fez frio entre o natal e o ano novo, esse ano fez um calor infernal. Tentamos fugir do sol, mas não teve muito jeito. Torramos os braços e pernas sob um sol de mais de 30C quase todos os dias, mas valeu a pena. Esses foram os pedais que fizemos pra fechar os 500km do Festive 500 de 2016:

  • Pedal 1: Volta da Graciosa
  • Dia 24/12/16
  • 143km, 1686 de subidas acumuladas
  • Luiz, Fabricio, Arce e Felipe
  • Percurso: Strava, Relive

Trajeto clássico na região de Curitiba que desce a serra do mar pela BR277 e sobe os paralelepípedos da estrada da graciosa. Primeira vez que fiz de speed, entretanto. Todas as outras vezes fui de MTB. Pneuzinho 23c certamente não é o mais adequado para esse tipo de piso. Apesar de não ter o equipamento adequando deixei a molecada pra traz na subida 🙂 Tá certo que precisei de uma roda pra voltar no contorno.

img_0302

Fabricio no fim da subida. Só o pó da capa do batman

  • Pedal 2: Curitiba-Matinhos
  • Dia 26/12/16
  • 110km, 339m de subidas acumuladas.
  • Luiz, Fabricio, Felipe
  • Percurso: Strava, Relive

Pedalzinho detox de Natal. Fabricio precisava pegar o carro dele no litoral então aproveitamos a carona garantida para a volta para descansar as pernas do pedal da graciosa. Apesar do forte calor (na casa dos 30 graus), fizemos o pedal num bom ritmo e fechamos os trajeto com 38.4km/h de média. Acabamos ao lado da piscina do prédio em Caiobá.

img_0306

  • Pedal 3: Campo Largo, Ouro Fino, Colonia Witmarsun
  • Dia 27/12/16
  • 111km, 1447m de subidas acumuladas.
  • Luiz, Fabricio, Felipe
  • Percurso: Strava, Relive

Como o pedal do dia anterior não teve muita altimetria, apesar do ritmo forte, resolvemos emendar mais um longo. Dessa vez fomos para as estradas em direção oposta ao litoral paranaense. Saímos por volta das 8h de Campo Largo, passamos por Ouro Fino, subimos a serra de SLP e fomos até a Colônia Witmarsun. O calor começou a apertar no começo da subida da serra e quando chegamos em Witmarsun o termômetro do GPS já marcava 32 graus. Um alivio foi o vento a favor na volta. Apesar do calor, altimetria forte e dos pneus furados, conseguimos manter uma boa média, perto dos 30km/h.

fullsizerender

ourofino

Curta, porém bela estrada que leva até Ouro Fino.

  • Pedal 4: Palmitalzinho
  • Dia 28/12/16
  • 93km, 829m de subidas acumuladas.
  • Luiz, Fabricio, Felipe, Arce, Diogo, Bianco e Josmar
  • Percurso: StravaRelive

Ainda meio cansado do pedal do dia anterior, minha ideia era fazer um pedal recuperativo de uns 60km. Quando me dei por conta estava num pelote de 7 ciclistas e acabamos dando uma esticada pela estrada do Palmitalzinho. Ali o grupo de dividiu em dois. Fabricio, Arce e eu estávamos perto de Quatro Barras quando o telefone do Arce tocou. Era o Felipe informando que o Bianco e o Josmar tinham se acidentado numa curva da Dom Pedro. Um carro meio fechado e eles meio abertos se encontraram. Sorte que a velocidade não era tão grande e nada mais grave aconteceu. Apenas alguns arranhões e uma roda torta. Tomamos um café na padoca de Quatro Barras e voltamos para encontrar os acidentados e seguir viagem, agora num pelote de 5. O sol deu as caras, mas não tão forte como nos dias anteriores.

Roda do Bianco depois de ser atropelada pelo carro (Foto: Felipe)

  • Pedal 5: Pedágio+Quatro Barras
  • Dia 29/12/16
  • 99km, 706m de subidas acumuladas.
  • Luiz, Fabricio, Felipe, Arce
  • Percurso: StravaRelive

Faltavam cerca de 40km para fechar o desafio. Um pedalzinho leve até o Pedágio e tudo estaria resolvido. Encontrei o Felipe as 8h no posto e fomos até o Rio Pequeno. Fabricio perdeu a hora e apareceu mais tarde no pedágio. Depois de um longo café no SAU, chega o Arce com aquela cara de cachorro pidão procurando companhia para um pedal mais longo, afinal de contas ele ainda tinha uns 200km pra fechar o desafio. Se você pagar o café em Quatro Barras, eu te acompanho, barganhei. No fim das contas fomos todos os quatro e ele acabou pagando a conta. Quem manda viajar no meio do desafio.

Confraternização na padoca de 4 Barras

O que era pra ser um bate-volta no pedágio acabou virando um pedal de quase 100km com média de 31.5km. Na volta de Quatro Barras o Felipe ainda conseguiu arrancar o pedal do pedivela. Na realidade ele achou um bom motivo para comprar pedais novos! Além de uma boa desculpa pra chegar meio atrasado em casa.

O mapa abaixo mostra os trechos por onde pedalei nessa última semana. Foram 557km, 5007m de subidas, 17h51′ em cima da bike com uma média geral de 31.4km/h. Meus sinceros agradecimento ao Felipe, Fabrico e Arce pela excelente e constante companhia durante esses dias! Feliz 2017!!

2 thoughts on “Strava Festive 500 (2016)

  1. Legal o relato. Pena não ter acompanhado você em nenhum pedal, mesmo por que iria sobrar feio com as médias que fizeram. Bom ano novo!

Leave a Reply