Tosco Tomando Vinho

CURITIBA (e comendo) Feriadão frio em Curitiba, e a cama parecia me agarar pelas pernas. Lutei bravamente e consegui me desvencilhar da cobertas para fazer meu treino programado na planilha. Não deixei barato, pois carreguei toda a familha pro parque comigo!

Sabia que um almoço dos bons me esperava, então não podia deixar um treino passar em branco. Já no fim de semana fomos convidado pelo André para sermos cobaia de um experimento. Explico. O bicho está fazendo um curso de chefe cozinha (fez até um blog) e ia botar em prática algumas das suas aulas.

Entre os pratos preparados pelo nosso chef estavam o Ragu de Barreado e um porco assado com batatas. Tudo delicioso!

Mas vamos ao que interessa. Fiquei de levar uma garrafa de vinho e como o Andre tinha me dito que a comida era incorpada, nada melhor do que um Cahors, vinho bem incorpado com fortes taninos. Esse vinho é um dos meus Cahors favoritos (GGGG1/2). Infelizamente não são tão fáceis de se achar por aqui.

Depois abrimos um Italiano da Toscana que o André ganhou de presente de aniversário. Bem suave, e se comparado com um Cahors, parecia meio aguado. Mesmo assim eu daria uma (GGG)

Pra fechar o feriado, um Chileno chamado Tricyclo. Tá certo, esse Cabernet Sauvignon não inspira muita confiança pelo nome, mas devo admitir que desce bem. Um gosto de madeira um pouco acentuado, mas para a terceira garrafa, estava perfeito (GGG1/2)

E haja pedal e corrida pra queimar todo esse alcool!!

Os Quatis

CURITIBA (friozinho bão) Esses dias recebi um email de um amigo com o video abaixo e com a seguinte mensagem: “O cara canta pra cacete, mas essa menininha…”

Pera aí bicho, essa menininha é minha filha!! Esse video foi filmado em 2006 na casa do meu amigo André, onde depois de diversas garafas de vinho o Luiz (o outro, não eu) pegou o violão e cantou essa versão, digamos zoológica, da música do Queen.

Isabela, que na época tinha uns 3 anos, “ajudou” o Luiz a tocar o violão. Poucos sabem disso. O video já tem mais de 320000 acessos e diversos comentários de gente querendo trucidar minha filha!

A Conferência

SIERRE (done) Conferências sempre são interessantes mesmo quando não são muito boas tecnicamente. São interessante pois temos a oportunidade de encontrar alguns colegas do Brasil e de fora que só encontramos em conferências.

São interessantes para sair da rotina do dia a dia e ver o que outras pessoas estão fazendo em termos de pesquisa. São interessantes para você saber o que as outras pessoas pensam a respeito da sua pesquisa. Enfim, conferências são interessantes mesmo quando não são tão boas.

Esta edição do ACM-SAC estava bem organizada e foi realizada no campus da Hes-so em Sierre, Suiça. Como dá pra notar, o local é inspirador, sem falar no padrão Suiço das instalações. Além do mais tivemos muita sorte com clima. Temperaturas acima da média e dias ensolarados com o céu azul foram uma constante.

Hora de voltar pra casa onde o trabalho nos espera!

Canal Lachine

CURITIBA (sem carro??) Sábado passado reservei o dia para uma pedalada com alguns amigos em Montreal, aproveitando que meu voo de volta pra casa era tarde da noite. Logo quando acordei achei que a coisa não ia sair pois fazia 5 graus e eu não estava preparado para o frio.

Depois do meio-dia a temperatura deu uma subida e salvou nosso dia. Vesti minha camiseta de cicloturista e partimos em direção do canal Lachine. Esse canal foi construído para que barcos pequenos pudessem navegar o Saint Laurent já que uma parte do rio tem algumas corredeiras. Ficou abandonado por muito tempo e foi revitalizado no começo desta década. É um lugar muito agradável de se pedalar pois existem ciclovias em toda a extensão do canal.

photo (10)

A ideia era fazer parte de um caminho que eu e Marisa faziamos bastante na nossa época de estudante. Alias, bons tempos aqueles onde a única preocupação era uma tese de doutorado pra acabar!!

Saí na companhia de Paulo, Marcelo e Eduardo. Todos alunos de doutorado no mesmo laboratório que eu costumava frequentar. Paulo trabalhou algum tempo na Invisys e Eduardo foi meu aluno de mestrado na PUCPR. Como não ferrei muito do guri ele me emprestou uma bike para o passeio.

photo (8)

photo (9)

Na volta fomos seguindo o rio pois Eduardo tinha comentado que tinham algums cabras-macho que surfavam nas corredeiras do rio.  Cabra-macho sim, pois a temperatura da água não deve passar de uns 10 ou 15 graus no verão. E lá estavam os caras. Tinha até fila pra pegar a pequena onda que não sai do lugar.

photo (7)

Em resumo, foram 31km em boa companhia para matar um pouco as saudades do tempo que eu só andava de bike ou a pé. Aos companheiros de pedal, boa sorte e aproveitem o inverno que se aproxima :)

Mapa do percurso disponível aqui

Companheiros

BARCELONA (refreshing) Não posso negar que gosto de fazer muitas coisas sozinho. Me sinto bem quando estou só. Não tenho nenhum problema e viajar sozinho, pelo contrário, gosto bastante. Mas viajar com gente que gosta de viajar e desbravar os lugares assim como eu também é muito bom. Alessandro, Alceu e myself temos dado boas risadas nesses dias…

DSC03921