Alaska

LOS ANGELES (conexões…) A maior cidade do Alaska é Anchorage, mas não se engane. A cidade tem poucos atrativos. Ok, tem várias micro-cervejarias. Mas os grandes atrativos do Alaska estão nas suas belezas naturais. Para quem gosta de atividades ao ar livre, o Alaska é um prato cheio. Nessa época do ano, o clima é agradável, com temperatura na casa dos 12C e com dias extremamente longos. A foto abaixo eu tirei as 23:50h da janela do hotel. E por volta das 5h da manhã o dia já está clareando.

Para conhecer um pouco mais desse fim de mundo, alugamos um carro e fomos visitar o sul do Alaska. A  Alaska #1, estrada que leva ao Sul, parece um cartão postal. Montanhas cobertas de neve e água em todas as direções. Dá pra dirigir por horas sem notar o tempo passar.

Nossa primeira parada foi em Wittier. A organização da conferência conseguiu um bom desconto com a empresa que faz o passeio das 26 geleiras e resolvemos aproveitar a oportunidade. Afinal de contas, não devo voltar para o Alaska tão cedo.

O passeio de barco que passa por diversas geleiras dura cerca de 5h. O barco é super-confortável e navega por águas calmas o tempo topo. Algumas geleiras impressionam pelo tamanho, mas também pelo rapidez que estão diminuindo. As marcações feitas ano a ano corroboram a preocupação dos ambientalistas.

Mais ao sul de Wittier, seguindo pela Alaska #9, está Seward. Antes de Seward, porém, demos uma passada no Kenai Fjjords National Park para ver algumas outras geleiras e fazer um trekking em algumas das muitas trilhas do parque. Infelizmente o tempo não ajudou muito. Uma garoa chata nos acompanhou por todo o percurso.

Fjord National Park – Exit Glacier

Finalmente, chegamos em Seward. A cidade que serve como base para que vai explorar o parque nacional não tem grandes atrativos mas tem uma excelente micro-cervejaria. Certamente essa leva o título de cervejaria mais distante que eu visitei!

Ñuñoa

SANTIAGO (hot and dry) Mais uma semaninha de trabalho em Santiago, dessa vez convidado pelo meu colega José Saavedra para discutir nossas pesquisas em “deep learning”. Hoje fiz uma apresentação para os alunos da ciência da computação da Universidad de Chile sobre reconhecimento de padrões e aprendizagem de máquina e depois José me levou para conhecer o bairro onde ele mora. Trata-se da comuna de ñuñoa (lugar das flores amarelas).

O ponto “turistico” da região é a plaza ñuñoa, onde está o bonito prédio da prefeitura da comuna. Ao redor da praça tem um porção de bares e restaurantes. screen-shot-2016-11-09-at-22-10-37

Mas os mais legais ficam atras do prédio da prefeitura descendo um lance de escadas. O local lembra um pouco o famoso Patio Bela Vista (talvez a maior armadilha para turistas de Santiago). Este porém é frequentado pelos locais, pois fica um pouco longe do centro e não tem metrô perto. O jeito mais fácil de chegar lá é pegando um taxi ou uber.

img_0130

Descendo as escadas, o primeiro bar a direita tem um monte de cervejas artesanais e um bom hamburger. As IPAs chilenas merecem uma certa atenção!

img_0126

Acesso Livre ao Pico Paraná

Screen Shot 2015-08-01 at 5.12.56 PM

Foto. Pedro T.

CURITIBA (dry) Uma novidade pra quem quer explorar as trilhas do Pico Paraná. Parece que estão começando a tirar do papel o Parque Estadual Pico Paraná. A porteira que existia na Fazenda do Dilson, a qual ele só permitia acesso após as 7h, não existe mais.  No caminho, agora você encontra diversas placas como essa, informando que o acesso é livre é que a cobrança de ingresso ou taxa de passagem é proibida.  Acredito que ele possa cobrar o estacionamento, entretanto.

O Parque ganhou uma área de passagem que foi desapropriada pela Prefeitura de Campina Grande do Sul. O site do governo do Paraná informa que essa área deve ser repassada em regime de comodato ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP), órgão responsável pela Unidade de Conservação. Por enquanto nada do IAP por lá, somente as placas. E do jeito que as coisas andam, acho que o IAP não deve estar presente tão cedo.

Descobri isso tudo na última sexta-feira, dia 31/7/2015, quando repetimos, Pedro e eu, o ataque ao Caratuva. O dia, assim como da outra vez, estava magnifico. Menos frio é verdade.

Pico Paraná e baía de Antonina vista do Caratuva

E dessa vez, levamos cerveja pra tomar lá em cima. E não foi qualquer cerveja. É a cerveja produzida pelo Pedro, que diga-se de passagem, está sensacional!

Tive a oportunidade de experimentar alguns dos seus exemplares e posso dizer que o bicho leva jeito pra esse negócio de fazer cerveja. Da próxima vez vamos subir de cargueira o PP e levar um engradado!

Killarney

KILLARNEY (long day) De acordo com o meu guia de viagem, Killarney é a atração turística mais visitada da Irlanda. Ok, se não fosse pela conferência, muito provavelmente eu não teria conhecido esse pedaço da Irlanda, apesar da sua popularidade. A cidade em si é bem pequena e tem cerca de 30000 habitantes. Por se tratar de uma cidade turística, restaurantes e lojinhas de toda sorte não faltam. Se você gosta de comida indiana, existem algumas boas alternativas aos famigerados “fish&chips”

IMG_2571

Se voce aprecia uma boa cerveja, acabaram de inaugurar a Killarney Brewing Company aqui. Você pode fazer um tour na micro cervejaria por EUR 12 com direito a provar duas cervejas. Além de um video contando a história da cervejaria, o guia te explica num inglês gaélico o processo de fabricação de cada cerveja, alem da origem do rótulo de cada uma delas.

IMG_2572

Atualmente eles fazem seis tipos de cerveja: blonde ale, irish red ale, larger, irish pale ale, indian pale ale e stout. De acordo com o guia, os três sócios colocaram cerca de EUR 2 milhões para viabilizar o negócio e parece que a coisa está indo muito bem, obrigado. Gostei das cervejas que eu provei. Não estão entre as TOP5,mas são boas.

Unfiltered Blonde Ale

Unfiltered Blonde Ale

E pra queimar todo o alcool do monte de cerveja que você vai tomar por aqui, nada melhor do que uma corridinha. Lugares para correr não faltam, entretanto, me indicaram um roteiro bem bacana. Saindo da rua principal, entre na Ross Rd e siga até o Ross Castle. Depois volte pela pista que corta bosque e acaba na frente da catedral. Um trajeto de cerca de 10km quase todo plano com um visual de tirar o fôlego.

Ross Castle

Ross Castle

O “must see” da região certamente é o Killarney National Park, mas especificamente os lagos de Killarney. Ali os turistas têm a disposição atividades “outdoor” para todos os gostos. Você pode ficar pescado na beira do lago ou escalar as montanhas da região. Uma atração que fica logo na entrada do parque é Muckross  House, uma mansão no estilo vitoriano construída no século 19.

Muckross House

Muckross House

E se sobrar tempo e você tiver sorte de ter um dia de sol (coisa rara mas fomos agraciados) uma sugestão é fazer a rota conhecida como Ring of Kerry. Trata-se uma rota cênica com cerca de 180km passando por diversas cidadezinhas da península de Iveragh sempre com paisagens muito belas. Seguindo a sugestão de uns locais, fizemos uma pequena alteração na rota sugerida do Ring of Kerry adicionado a ilha Valentia. Nessa pequena ilha a sugestão é subir o Monte Geokaun para contemplar os Fogher Cliffs

Fogher cliffs

Fogher cliffs

Um pouco antes de chegar no topo existe uma trilha com cerca de 2km que dá a volta no morro. De lá você tem uma visão privilegiada de toda ilha e seus arredores. 
IMG_2613

Pra finalizar o passeio na ilha vá até o vilarejo de Knightstown. Se decidir deixar a ilha por alí, você pode tomar uma cerveja no pub que fica em frente ao ferryboat que faz a travessia dos carros.

 

Dublin

DUBLIN (boat trip) O principal objetivo da viagem a Dublin era conhecer a Guinness e é claro, visitar a cidade se desse tempo. Conseguimos fazer as duas coisas. Dublin é uma cidadezinha bem simpática que pode ser visitada facilmente em um ou dois dias. O melhor é que você consegue fazer tudo a pé.

Algumas impressões depois de uma visita rápida de um dia: O povo é muito simpático e prestativo. Tem Brasileiro em tudo que é canto. A cidade é relativamente limpa. Tem ciclovias espalhadas por todos os lados. Onde não tem ciclovia, os ciclistas parecem conviver bem com os carros. Tem gente dormindo nas ruas (sinais da crise que assolou a Irlanda nos últimos anos). Os pubs são bons (e muitos) e a cerveja é ótima!

Esses são os pontos turísticos que estão em todos os guias de “Um dia em Dublin”:

  • O’Connell street: É o coração do centro da cidade. Ao redor tem algumas ruas exclusivas para pedestres como a Grafton St e a Henry St, as quais tem um monte de lojas e shopping centers. Na esquina da O’connel com a Henry fica o Obelisco e um pouco mais abaixo o canal que corta o centro da cidade

IMG_3079

  • Trinnty College: Os prédios imponentes e a beleza do grande pátio interno atraem um monte de turistas. Vale a pena passar por lá.

IMG_3028

  • Temple Bar: Dizem que é o Pub mais antigo do mundo. Não fui atrás pra saber se isso é verdade. Antigo ou novo, é mais um Pub entre os montes que você encontra em Dubin.

IMG_3034

  • Dublin Castle: Eu acho que deveria ter algumas regras pra chamar uma construção de castelo. Eu não classificaria isso como castelo. Tem uma pequena torre medieval e um monte de prédios que hoje são ocupados pelo governo Irlandês. Tem bastante história, mas…

IMG_3039

  • Jameson: O que falar de um whisky que é usado para fazer cocktails. Então, deixa pra lá…
  • Guinness Storehouse: Parada obrigatória pra quem vai a Dublin e gosta de cerveja. A visita é auto-guiada (parecida com a Heinekein) e se você quiser pode usar um audio guia (gratis). No começo da visita você pode assistir alguns videos sobre a origem dos ingredientes básicos da famosa cerveja. Depois uma breve apresentação sobre como degustar a cerveja, degustação de algumas comidas que levam a cerveja no seu preparo e finalmente uma degustação no Gravity bar, um ambiente todo envidraçado com uma vista de 360 graus.

Screen Shot 2013-10-14 at 8.44.42 PM

 IMG_3066

 Cheers, e vamos ao trabalho!

Me dê Motivos

CURITIBA (assim não dá) Se você acha que o preço da passagem de ônibus, impostos de primeiro mundo para ter serviços de quinta categoria, violência em escalada, educação de merda, etc. não são motivos suficientes para os protestos que estão acontecendo nos últimos dias, vou te dar mais um: o preço de uma boa cerveja.

chimay Montreal

Compare os preços de uma Chimay Vermelha de 330ml em Montreal-Canada (foto acima) e Curitiba (foto abaixo). E olha que bebida alcoólica é uma das coisas mais taxadas no Canada.

Chimay Curitiba

Surfers Paradise & Byron Bay

BRISBANE (wet) Como chove por aqui. Tínhamos planejado conhecer a famosa barreira de corais que fica um pouco ao norte de Brisbane, mas choveu o fim de semana inteiro. Então resolvemos ficar por perto. Passamos na famosa praia de Surfers Paradise. Como o tempo estava meio feio a praia estava bem tranquila. Tudo muito bem cuidado, limpo, mas nada demais, apenas uma bonita praia. Alias, uma coisa que eu notei até o momento, é que tudo é muito bem cuidado, limpo e organizado.

Encontramos uma restaurante pra almoçar que vendia cerveja. Aqui vale uma nota. A grande maioria dos restaurantes aqui não vende bebida alcoólica. Supermercados não vendem cerveja (pelo menos nos que nós fomos). Se você quiser comprar qualquer bebida alcoólica você tem que ir em uma “liquor store”. Para nossa sorte, a variedade de cervejas nesse bar/restaurante era boa.

Um outro dia chegou e a chuva não foi embora. Resolvemos conhecer uma praia chamada Byron Bay. Local bastante frequentado pelos surfistas locais. Pegamos então a estrada com nosso Lancer com a direção do lado direito. Chuva forte no caminho inteiro.

Queríamos visitar o farol no alto do morro, mas chovia demais. Não nos restou outra alternativa a não ser achar um restaurante pra almoçar. Pra variar, nem cerveja nem vinho. Felizmente a moça nos disse que poderíamos comprar um vinho e levar para o restaurante. Comprarmos dois Shiraz Australianos e fomos comer um peixinho.

Projeto de Vida

CURITIBA (chuva e frio) Aproveitando o clima, vou começar pelas Ales. Algumas delas eu já experimentei, outras eu nunca ouvi falar. Será que consigo encontrar todas por aqui?

Clique na figura para aumentar o tamanho.

Circuito da Sexta

CURITIBA (vento frio) Algumas sextas-feiras, quando tudo conspira a favor, dá certo de dar uma pedalada na parte da tarde. Hoje foi uma dessas. Consegui sair de uma reunião chata pacas com um monte de gente maluca na reitoria da universidade e sobrou um tempo pra um pedal a tarde. Nesses casos, o parceiro de sempre é o Renatão. Temos um circuito de uns 40km que passa pela Lamenha Pequena, Almirante Tamandaré, Parque Tingui e Barigui. Com direito a uma parada na cantina do Tingui pra repor os carboidratos e comer um pastelzinho de palmito.

Agora com o horário de verão devemos fazer isso com mais frequência.