A Conferência

ANCHORAGE (49th state) Essa foi uma das viagens mais cansativas que eu fiz nos últimos anos. Voos com atrasos, conexões gigantes, crianças chorando dentro do avião, etc. Mas enfim, cheguei em Anchorage no Alaska para participar da 30th edição da International Joint Conference on Neural Networks (ICJNN).

A organização da conferência esse ano deixou bastante a desejar. A internet simplesmente não funcionou. O coffee break fez jus ao nome, pois a única coisa disponível era café. E se demorasse muito, só tinha o break mesmo.

Algumas sessões, como as de deep learning, que atraem um bom público foram alocadas em salas pequenas, enquanto outras com pouquíssimas pessoas foram alocadas nos auditórios. Parece até que os organizadores não participaram da última edição da conferência para aprender como não fazer. Em resumo, a pior edição do IJCNN de todos os tempos.

Por outro lado vi algumas apresentações bem interessantes. Esse ano os organizadores deram preferência a temas mais voltados a teoria para as apresentações orais. A grande maioria dos papers discutindo aplicações foram alocados na sessão de poster. Nosso trabalho “A Two-Step Method for Designing Efficient Multiple Classifier System”, resultado do nosso aluno de mestrado Eunelson Silva, foi apresentado pelo  Alceu.

E para celebrar o trabalho publicado, fomos na melhor cervejaria da cidade, a 49th State Brewing, onde eles produzem localmente uma boa variedade de cervejas. A minha predileta foi a Solstice IPA. Alias, Anchorage está recheada de pequenas cervejarias. Dá pra passar um bom tempo sem repetir cerveja!

A Conferência

CANCUN (blur) De volta ao ICPR, agora na sua 23a edição. O que é notório esse ano é a ausência dos Brasileiros. Na edição passada na Suécia, escrevi sobre a boa quantidade de pesquisadores Brasileiros na conferência. Os impactos da crise começam a aparecer na nossa ciência.

Quem conseguiu vir está vendo uma conferência muito bem organizada pelos Mexicanos. Tirando o wifi que está uma bosta, o resto está muito bem organizado. Ontem os caras fizeram um cocktail de recepção na praia que foi de tirar o chapéu.

img_0240

Ainda no primeiro dia tivemos uma apresentação do Haralick, o pai das matrizes de co-ocorrencia, que foram introduzidas por ele como descritores de textura nos anos 70, e que são usadas até hoje. Fei-Fei Li, a “rising star” na área de visão computacional recebeu um prêmio da conferência e também fez uma apresentação sobre suas pesquisas recentes.

Temos dois artigos nessa edição da conferência. Um sobre o reconhecimento de assinaturas do Luiz Gustavo, aluno de doutorado na ETS/Canada e outro sobre identificação de escritores do Diego, meu ex-aluno de doutorado, hoje professor da UTFPR.

img_0246

A próxima edição do ICPR será na China. Vamos torcer para ter recursos pra estar lá em 2018.

A Conferência

VANCOUVER (one eye) Esse ano o IJCNN (International Joint Conference on Neural Networks) está sendo organizado em Vancouver, Canada, sob o guarda-chuva do WCCI (World Congress on Computational Intelligence). O WCCI agrega três diferentes conferências (ICJNN, IEEE-FUZZY e IEEE-CEC) a cada dois anos e reune mais de 1000 pesquisadores do mundo inteiro. Uma verdadeira torre de babel.

Os organizadores escolheram o centro de convenções de Vancouver para hospedar o evento, um lugar magnifico com uma estrutura de tirar o chapéu. A organização está boa mas com vários “No Shows”, que é quando ninguém aparece para apresentar o trabalho. Várias conferências de diferentes áreas estão punindo esse tipo de atitute removendo os artigos dos anais da conferência. Isso deveria ser regra. Não  pode ir pra conferência, não manda o artigo. Simples assim.

Esse ano tivermos três trabalhos aceitos. Ontem eu apresentei o trabalho Breast Cancer Histopathological Image Classification using Convolutional Neural Networks que está sendo desenvolvido pelo Fabio Spanhol (aluno de doutorado na UFPR) e Luiz Gustavo (aluno de doutorado na ETS/Canada) apresentou alguns resultados da sua pesquisa em verificação de assinatura (Writer-Independent Feature Learning for Offline Signature Verification using Deep Convolutional Neural Networks). Hoje, Alceu fecha com a apresentação do trabalho Contribution of Data Complexity Features on Dynamic Classifier Selection.

FullSizeRender

Túnel do Tempo

CURITIBA (blurred) Meu aluno, que está fazendo seu doutorado no Canadá, no mesmo laboratório que eu fiz entre 2000 e 2003, encontrou essa raridade perdida por lá. Toda a gangue do laboratório reunida em Seattle para o ICDAR 2001.  Essa expressão de alegria no rosto de todos mudaria drasticamente na manhã seguinte, dia 11/9/2001.ICDAR 2001

Best Paper

CURITIBA (sem chuva hoje, por enquanto) Recebi um email do meu amigo Paulo hoje pela manhã com a notícia que nosso artigo “An Adaptive Multi-level Framework for Forest Species Recognition” foi premiado com o Best Paper Award na IV Brazilian Conference on Intelligent Systems (BRACIS 2015) que está acontecendo essa semana em Natal.

Best Paper

Infelizmente não consegui estar em Natal essa semana. Depois de tantas viagens esse ano, se eu fosse pra lá estaria correndo risco de vida aqui em casa…. Agradecimentos especiais ao Paulo, da IBM Research, por ter feito grande parte deste trabalho!

E como dizia Dorothy Parker, “I hate writing, I love having written”.

A Conferência

KILLARNEY (powered by Guinness) O maior fórum de discussão na área de redes neurais ganhou um “boost” nesses últimos anos em função das técnicas de Deep Learning (Aprendizagem Profunda), que não são novidades, mas ganharam força por causa do poder de processamento disponível a baixíssimo custo nas placas gráficas (GPU – Graphics Processing Units). Essas placas surgiram para alavancar a indústria de jogos de computadores, mas têm sido usadas na comunidade de aprendizagem de máquina para resolver problemas complexos que podem ser paralelizados.

Nesse ano o IJCNN (International Joint Conference on Neural Networks)  está sendo organizado em Killarney, uma cidadezinha turística no sul da Irlanda. Entretanto, a organização da conferência não está na mão dos irlandeses e sim dos Chineses.

Isso dito, a organização está deixando bastante a desejar. Primeiro, escolheram um lugar que não cabe todas as sessões paralelas. Ai colocaram algumas sessões no centro de convenções e outras num hotel ao lado. Coisa de amador. Segundo, a qualidade dos projetores é pior daqueles que temos na universidade para dar aula. Se você está no fundo do auditório não dá pra ver nada. Finalmente, os caras entregam os proceedings num CD. CD for christ sake!! Quem usa CD como mídia em pleno ano de 2015! Meu computador nem tem leitor de CD. Cobrando US$ 700 de inscrição, os caras deveriam ter caprichado mais na organização.

conference program

Já na parte técnica o pessoal está fazendo seu trabalho. A sessões técnicas estão com um bom público, talvez pelo tempo feio que está fazendo lá fora, mas em todo caso, o pessoal está prestigiando as apresentações. Ontem a noite meu aluno, Luiz Gustavo, apresentou seu trabalho sobre transferência de aprendizado entre redes neurais e não teve um minuto de folga durante as duas horas da primeira sessão de posters.

Luiz Gustavo explicando transfer learning

Luiz Gustavo explicando transfer learning

Melhor Deixe

Screen Shot 2015-06-26 at 4.18.31 PMCURITIBA (onde vamos parar?) Estava fazendo planos para ir à Tunisia no próximo mês de agosto, onde vai acontecer a 13a edição do ICDAR (International Conference on Document Analysis and Recognition). O ICDAR é uma conferência que eu frequento já faz um bom tempo e é onde eu acabo encontrando pesquisadores do mundo inteiro que trabalham na minha área de pesquisa. Em 2007 organizamos a 9a. edição desta conferência em Curitiba.

Quando anunciaram o local da conferência fiquei entusiasmado. Uma oportunidade para voltar ao continente Africano. O norte da Africa é uma região muito bonita que eu gostaria de conhecer melhor. Tive a oportunidade de viajar pelo Marrocos em 2012 e foi uma experiência muito bacana. Alguns contratempos, é verdade, mas me diverti bastante. Nesse ano estava planejando fazer algo similar pela Tunisia. Chegar lá uns dias antes, alugar um carro e conhecer um pouco o interior do país.

Em Março, depois do atentado no museu no qual morreram 20 turistas (inclusive um Brasileiro), minha esposa já tinha torcido o nariz para a ideia. Então desisti de alugar o carro e resolvi que ficaria na cidade da conferência somente. Ela continuou torcendo o nariz, mas tinha aceitado a ideia. Mas depois de hoje, fodeu! Até eu me convenci que não é a hora de viajar pra lá. Tunisia vai ter que ficar para outra hora, infelizmente. O problema é que acho que vai demorar um tempo para o pessoal voltar a organizar conferência por lá….

A Conferência

STOCKHOLM (last day)  Essa semana estou participando da 22a. edição da International Conference on Pattern Recognition (ICPR 2014). O ICPR é a maior conferência na minha área de pesquisa e a primeira vez que eu participei em 2002 eu ainda era um aluno de doutorado e trabalhei como “voluntário” já que eu co-orientador, Prof. Ching Y. Suen, era o chair da conferência.

De lá pra cá a conferência cresceu bastante e hoje atrai mais de 1000 participantes de todos os cantos do mundo. Também é interessante notar o aumento de Brasileiros ano após ano.

icpr 2014

No que diz respeito a organização, a única coisa que eu posso dizer é que o padrão foi sueco, ou seja, perto da perfeição. Tudo funcionou como deveria e os “voluntários” fizeram um excelente trabalho. Seria perfeito se as coisas não fossem tão caras por aqui. Mas aí já não é culpa da organização. Sou eu que ganho em real.

Como em toda grande conferência algumas apresentações são mais interessantes que outras, mas dessa vez os organizadores acertaram em cheio em convidar a Profa. Fei-Fei Li, do Stanford Vision Lab. Fei-Fei é uma jovem pesquisadora e fez uma apresentação bastante interessante sobre o passado e as perspectivas da área de Visão Computacional. Conversando com outros colegas, a sensação foi que essa foi o melhor keynote speaker da conferência.

Nesse ano tínhamos dois artigos aceitos na conferência. O primeiro foi uma apresentação oral na segunda-feira na sessão “Handwriting Analysis and Recognition” onde apresentei os últimos resultados da tese de doutorado do meu ex-aluno de doutorado Diego Bertolini. O segundo artigo sobre os resultados preliminares do trabalho de mestrado do Luiz Gustavo Haffemann sobre o uso das Convolutional Neural Networks  para classificação de textura foi apresentado na sessão de poster “Image, Speech, Signal and Video Processing”

icpr 2014

Agora é voltar pra casa e começar a escrever os artigos para a próxima edição que vai acontecer em Cancun em 2016.

 

A Conferência

MANCHESTER (cold) Essa foi a primeira vez que participei dessa conferência, a IEEE System, Man and Cybernetics (SMC). É uma conferência bem grande com mais de 800 artigos apresentados em várias sessões em paralelo. Estava bem organizada e as coisas aconteceram dentro do previsto.

IMG_3175

 

Em uma conferência tão grande assim você acaba encontrando um monte de coisas diferentes. Por exemplo, uma artigo que propõe um método para detectar se o ciclista está pedalando ou empurrando a bike em áreas restritas. Método bem interessante para resolver um problema também interessante.

IMG_3162

Nós tivemos dois artigos apresentados nessa conferência.

  • LIBRAS Sign Language Hand Configuration Recognition Based on 3D Meshes.
  • Parking Space Detection using Textural Descriptors.

O primeiro é de um aluno do nosso programa que já defendeu sua dissertação e o segundo é de outro que deve (vai) defender até o fim do ano.

A Conferência

COIMBRA (hard work) Vim para cá para participar da ACM SAC (Symposium on Applied Computing) que está sendo realizada no Instituto Superior de Engenharia de Coimbra.

isec

Quem está apresentando nosso trabalho é o Paulo, que agora está trabalhando para a IBM Research Brazil.  O trabalho tem haver com o projeto de doutorado do meu aluno, Jefferson Martins, e o Paulo colaborou no projeto com algumas ideias e experimentos.

paulo

Vamos ver se temos um bom feedback da comunidade.